Mês das Vocações

 

Duas sementes descansam lado a lado no solo fértil da primavera.

A primeira semente disse: Eu quero crescer!
Quero enviar minhas raízes as profundezas do solo e fazer meus brotos rasgarem a superfície da terra....
Quero abrir meus botões como bandeiras anunciando a chegada da primavera...

Quero sentir o calor do sol em meu rosto e a benção do orvalho da manhã em minhas pétalas!
E assim ela cresceu.

A segunda semente disse: Tenho medo.
Se eu enviar minhas raízes as profundezas, não sei o que encontrarei na escuridão.

Se rasgar a superfície dura, posso danificar meus brotos....

e se eu deixar que meus botões se abram e um caracol tentar comê-los? E se abrir minhas flores e uma criança me arrancar do chão? Não é muito melhor esperar até que eu me sinta segura?

E assim ela esperou.

Uma galinha ciscando no solo da primavera recente, a procura de comida, encontrou e rapidamente comeu a semente a espera de egurança.

Os que se recusam a correr riscos e crescer são engolidos pela vida.

:: PEGADAS NA AREIA


Esta noite eu tive um sonho.
Sonhei que caminhava na praia,
Acompanhado do Senhor,
E que na tela da noite estavam sendo
Retratados todos os meus dias.
Olhei para trás e vi que a cada dia
Em que passava o filme de minha vida,
Surgiam pegadas na areia
Uma minha e uma do Senhor.
Assim continuamos andando até que
Todos os meus dias se acabaram.
Então parei e olhei para trás.
Reparei que em certos lugares havia
Apenas uma pegada...
E esses lugares coincidiram justamente
Com os dias mais difíceis de minha vida.
Os dias de maior angústia, de maior medo,
De maior dor...
Perguntei, então ao Senhor
Senhor, Tu disseste que estarias comigo
Todos os dias de minha vida e eu aceitei viver contigo.
Mas por que Tu me deixaste nos meus piores dias?
E o Senhor respondeu
Meu filho, eu te amo.
Disse que estaria contigo por toda a tua caminhada e não te deixaria um minuto sequer. E não te deixei.
Os dias em que viste uma pegada na areia,
Foram os dias que te carreguei nos braços...


:: A LIÇÃO DA BORBOLETA


Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo. Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco. Então pareceu que ela parou de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia mais.

Então o homem decidiu ajudar a borboleta. Pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas. O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo, que iria se afirmar a tempo.

Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar. O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendia era que o casulo apertado e o esforço necessário da borboleta para passar através da pequena abertura, era o modo com que Deus fazia com que o fluído do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

Algumas vezes, esforço é justamente o que precisamos em nossa vida.

Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, Ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nunca poderíamos voar.

Eu pedi FORÇA... e Deus me deu DIFICULDADES para me fazer forte.
Eu pedi SABEDORIA... e Deus me deu PROBLEMAS para resolver.
Eu pedi PROSPERIDADE... e Deus me deu CÉREBRO e MÚSCULOS para trabalhar.
Eu pedi CORAGEM... e Deus me deu PERIGO para superar.
Eu pedi AMOR... e Deus me deu PESSOAS COM PROBLEMAS para ajudar.
Eu pedi FAVORES... e Deus me deu OPORTUNIDADES.
Eu não recebi nada do que pedi... Mas eu recebi tudo de que precisava.


:: SEMEAR SEMPRE


No campo do mundo tu és um semeador.

Não podes fugir à responsabilidade de semear.

Não diga que o solo é áspero, que chove amiúde, que o sol queima ou que a semente não serve.

Não é a tua missão julgar a terra e o tempo.

Tua missão é semear.

A semente é abundante.

Um pensamento, um sorriso, uma promessa de alento, um aperto de mão, um conselho, um pouco de água, são sementes que germinam facilmente.

Não semeies descuidadamente como quem cumpre uma missão desagradável.

Semeia com interesse, com amor, com atenção, como quem encontra nisso o motivo central de sua felicidade.

E ao semear não penses. Quanto demorará a colheita?

Recorda que não semeias para enriquecer, aguardando o ganho multiplicado.

Semeias porque não podes ficar inativo, porque não podes viver sem dar, porque não podes servir a Deus sem servir aos homens.

És dono de ti mesmo, da vida, do universo. Tua semente, pois, não cairá no vasto.

Sem esperar recompensa, receberás recompensa.
Sem esperar riquezas, enriquecerás.
Sem pensar na colheita, teus bens se multiplicarão.
E tudo porque semeias num Reino onde dar é receber, onde perder a vida é encontrá-la, onde gastar-se servindo, é aumentar.
Semeia sempre, em todo terreno, em todo o tempo a boa semente, com interesse, como se estivesses semeando o próprio coração.

Se pois, um semeador...


:: DISPONÍVEL COMO ARGILA


O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro, da terra e inspirou no seu rosto um sopro de vida, e o homem tornou-se alma (pessoa) vivente (Gn 2,7).

Eu naquele entardecer da criação, senti passos no jardim. Era ele, o Senhor da Criação. Acontece que, nesse entardecer, ele parou, inclinou-se, com um olhar carregado de amor. E, de repente, juntou-me do chão, a mim, pobre e pequeno punhado de terra, e ficou a me olhar pensativo... Remexeu-me longamente... Com todo carinho!

E, então começou a me amassar. Primeiro, retirou de mim uma série de impurezas que o atrapalhavam, pedrinhas, pauzinhos,... e ainda outras operações, que eu não compreendia, nem poderia compreender. Pode por acaso um vaso dizer ao oleiro, Eu entendo disso mais do que você!? (Is 29,16).

Eu nada perguntei. Oferecia simplesmente o meu ser em disponibilidade do meu amor. Deixava-me trabalhar. Deixava que ele me fizesse, porque eu sabia que era obra sua e que ele transformava com amor. Tuas mãos me formaram e me modelaram em todos os pormenores. (Jó 10,8; Sl 118,73).

De fato, fui tomando forma... uma forma a maneira sua... à sua imagem. Para que haveria eu de servir no futuro? Eu não sabia. Como a argila nas mãos de um oleiro, assim estava eu em suas mãos(Jr 18,6). E fui me tornando obra de Deus. E ele aplicava seu coração em aperfeiçoar-me, pondo cuidado vigilante em tornar-me belo e perfeito (Eclo 38, 29-31).

Depois veio uma etapa difícil. Porque foi um forno super aquecido que ao barro veio dar força e consistência. E o calor e o valor de minha vida que leva a bom termo a obra de suas mãos, o Senhor Criador. A cada vaso muito querido ele dá contornos de eternidade.

ntão comecei a olhar em torno de mim mesmo. E descobri outros vasos que suas mãos hábeis e cheias de amor haviam amassado e modelado artisticamente. Sem cansar-se, dava ele mais outra mão aqueles que não haviam saído bem. Cada um tinha sua forma e sua cor, sem duvida, conforme a sua destinação no mundo. Mas, do mais humilde ao mais rico, todos eram lindos, eram bem feitos. Ele nos tinha feito como bem queria...

Pode, porventura, um vaso perguntar ao oleiro, Por que me fizeste assim? Não tem poder o oleiro poder sobre o barro para fazer da mesma argila um vaso nobre e outro de uso vulgar? (Rm 9,20-21).

Ó divino oleiro, Criador e Pai, permite que se cumpra um mim a obra que começaste.

Seja meu projeto o teu projeto sobre mim!

 

:: PESSOAS SÁBIAS

 
Para a pessoa sábia, tudo tem um caminho, um ponto de chegada. Nada é solto. Nada está sozinho. Tudo está ligado

Há uma confusão entre sabedoria e informação. Em geral, as pessoas são muito bem informadas. Para isso existem as escolas, as universidades, os livros e, hoje em dia, a tecnologia da informática. Em geral, as pessoas são muito deficientes na sabedoria do viver humano. Somente as pessoas sábias contribuem para o progresso da humanidade. A sabedoria permanece. A informação vai sendo sufocada por outra. Somos uma sociedade muito bem informada e muito mal formada.

AS PESSOAS SÁBIAS CHEGAM AO CORAÇÃO DAS PESSOAS. A informação chega até a cabeça. As pessoas sábias são silenciosas e penetram no coração dos fatos e dos assuntos. Penetram no coração de cada pessoa. São capazes de percepção e intuição.

AS PESSOAS SÁBIAS SABEM DISCERNIR. Não vivem a confusão do tanto faz como não faz. A verdade e a mentira têm seu lugar e são distintas. Não permitem que o amor e o ódio se confundam. Em cada fato são capazes de perceber o certo e o errado e, acima de tudo, o sentido de cada realidade. Para a pessoa sábia tudo tem um caminho e um ponto de chegada. Nada é solto. Nada é sozinho. Tudo está ligado.

AS PESSOAS SÁBIAS NÃO SE APAVORAM. Vivemos uma sociedade com síndromes do medo, do pavor, da solidão, da doença. O medo é a ausência do amor. A pessoa sábia ama. Não deixa lugar para o medo. Numa sociedade com medo – e estamos mergulhados nela – tudo se torna motivo de não estar presente. Torna-se uma sociedade fechada em si mesma. E quanto mais se fechar, mais se apavora. E os donos dos psicotrópicos dançam de alegria, juntamente com os donos das farmácias, que enriquecem à custa da hipocondria humana.

AS PESSOAS SÁBIAS SÃO ABERTAS AOS OUTROS. Não vivem apenas o seu mundo. Preocupam-se com os outros. Conseguem abrir seu coração aos corações humanos. Conseguem ser sensíveis ao sofrimento e à alegria dos que estão perto. Conseguem ser misericordiosos e compassivos. A compaixão é sua grandeza. Estar perto. Fazer-se um. Ver além do sofrimento humano. Ver além do horizonte. Sonham, e no sonho há sempre uma perspectiva.

AS PESSOAS SÁBIAS VIVEM O MUNDO ESPIRITUAL. Não se contentam com o palpável. Vão além e indicam caminhos que ultrapassam as leis do mercado, do comprar e consumir, do viver somente o agora. Há um mundo de beleza e de ética, um mundo de fraternidade e convivência, há um mundo que continua quando todos os valores materiais forem destruídos. As pessoas sábias sabem viver num clima de fé e de esperança, num clima de amor à vida e, acima de tudo, sentem que não são o centro de si mesmas, mas que há um Tu que chama para ser mais e melhor. Que eu e você possamos nos deixar acompanhar e envolver por pessoas sábias, e a vida vai assumindo um novo colorido.

Autor: Frei Wilson João


:: PENSANDO VIDA COMO VOCAÇÃO


Vocação é chamado e liga-se a estado de vida. Diferente de profissão que é serviço da vida humano-social. Vida é nosso primeiro chamado. Cremos em Jesus Cristo, modelo na vivência da vocação humana. Vocação introduz na compreensão do dinamismo de Deus e nos revela a verdade sobre sua existência.

A vida assume assim o valor de dom recebido, que tende, por sua natureza, tornar-se bem doado. Na origem do caminho vocacional está Deus revelando que não construímos a vida sozinh@s. Ele caminha conosco. Se nós o quisermos, tece conosco uma maravilhosa história de amor, única e irrepetível, em harmonia com a humanidade e com o cosmos. Descobrir a presença de Deus na própria história é a grande virada que transforma o horizonte simplesmente humano. Cada pessoa há de encontrar-se plenamente no dom sincero de si. Eis o segredo da existência e de autêntica realização humana.

É preciso reencantar a vida. Há o testemunho de pessoas mostrando a fecundidade de uma existência que tem em Deus a sua fonte. Pessoas consagradas, com seu testemunho, conservam a consciência dos valores do Evangelho.

Um pensamento a vocês jovens, sedent@s de valores e, muitas vezes, incapazes de encontrar caminhos que levam a eles: Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida! A presença e o serviço de pessoas consagradas abre o coração e a mente para horizontes de esperança, cheios de Deus, e educa para a humildade e gratuidade de amar e de servir.

Na família e na escola, pais e educadores, estejam junto dos filhos e alunos, não os deixando sozinhos diante das grandes escolhas da adolescência e da juventude. Importa guiá-los na direção da autêntica alegria, fazendo ressoar no coração deles, às vezes invadidos pelo medo do futuro, a alegria libertadora da fé.

"A messe é grande, mas os operários são poucos! Rogai, pois, ao Senhor da messe que envie operários" (Lc 10,2)! Que o Espírito Santo suscite mais e novas vocações de especial consagração e uma real compreensão do sentido da existência como transparência da beleza e da santidade de Deus.

Autor: Ir. Narciso Camatti


:: OUVIR A VOZ DE DEUS


É com os ouvidos do coração que se ouve a voz de Deus.

A Bíblia diz que Deus nos falou. Nossa religião diz que Deus ainda nos fala. Falou diretamente a Moisés e outros patriarcas. Falou por intermédio de mensageiros e anjos. Falou por meio de profetas. Falou por meio de Jesus de Nazaré. Fala pela sua Igreja.

Se não acreditamos nisso então não há porque seguir uma religião. Praticamos religião também para ouvir e sentir o que Deus faz nos outros. Se para crermos nele exigirmos que nos fale pessoalmente estamos dizendo a Deus que se tem algo a nos dizer, diga pessoalmente. Deus não aceita condições, nem temos o direito de impô-las. Se Ele falou e fala é porque quer e nos ama. E impensável um Deus que não ame nem se comunique.

Mas é impensável alguém crer em Deus e exigir que se comunique do jeito que queremos ouvi-lo. Ninguém manda em Deus. Podemos crer ou não crer que Ele de fato falou a Abraão e Moisés. Podemos dizer que é tudo lenda, ficção, pedagogia. Acharam que o ouviram, mas Ele não falou...

Nossa Igreja diz que Deus fala e que a fé consiste em procurar ouvi-lo. Se você manda recados por razões suas, Deus também o faz. Os israelitas, assustados com os sinais de Deus, disseram a Moisés: da próxima vez , fala-nos tu. Tiveram medo. O desconhecido os assustava. Então alguém que não se assustava falou do desconhecido.

Nunca ouviremos a voz de Deus ou Deus soprando nos nossos ouvidos. É com os ouvidos do coração que se ouve a Deus. E é preciso ler sua mensagem com os olhos do coração. Se você acha que uma mensagem como a do filho pródigo não vem de Deus então de quem ela viria?

Jesus falou em nome de Deus a quem ele conhecia profundamente. E quem ouve Jesus tem mais chance do que quem o ignora. Jesus é paz. Nós, católicos, achamos que nossa Igreja fala em nome de Jesus. Vale a pena ouvir a voz de Deus nos acontecimentos. A Igreja ensina a ler e ouvir essa voz. Só ela é mãe e mestra. Eu nunca ouvi Deus me falando, mas tenho certeza de que Ele me fala. Um dos mensageiros mais fortes é a minha Igreja.

Autor: Padre Zezinho


:: O VÍRUS DA VOCAÇÃO


Normalmente, é durante a juventude que o vírus ataca, levando o “paciente” a procurar tratamento.

É próprio de nós, jovens, nos perguntarmos sobre o que é vocação. As respostas que damos, normalmente são muitas e diversas. O fato é que continuamente nos confrontamos com dilemas que não são simplesmente profissionais; são dilemas que se referem mais ao ser do que ao fazer. Para que você, amigo jovem, possa compreender um pouco mais sobre tudo isso, basta que fique “esperto” com relação ao vírus da vocação.

O que é o vírus da vocação?

É um vírus que ataca a todos, em especial a nós, jovens. Do ponto-de-vista psicológico, poderíamos dizer que ele se refere às características ou aptidões individuais que cada um de nós tem para desempenhar, com eficiência e qualidade, atividades que nos trazem realização pessoal. As habilidades se juntam ao gosto pessoal. Assim, um tem gosto e habilidades para ser jogador de futebol, outra para ser atriz, outro para ser sociólogo e assim vai. Poderíamos apresentar este vírus como o gosto e as capacidades para realizar um serviço que nos traga satisfação pessoal.

Mas podemos pensar este vírus de uma forma mais ampla, se levarmos em conta que o ser humano é também espiritual e, portanto, aberto ao transcendente e ao diálogo com Deus. Neste caso, a vocação se apresenta como um encontro entre Deus e o ser humano; Deus chama e a pessoa responde. Tendo presente que sempre que Deus chama alguém, é para confiar-lhe uma missão, podemos dizer que este encontro nos levará a realizar um serviço concerto no mundo, que não apenas nos traz realização pessoal, mas que seja também um real serviço aos nossos irmãos.

É bem verdade que nem todos somos chamados à mesma vocação, mas cada qual é chamado a desempenhar um papel no mundo e a deixar nele sua marca positiva na construção da história. Para alguns de nós esse chamado de Deus é mais comprometedor, para sermos sacerdotes, irmãos ou irmãs, missionários/as dispostos a dar a vida na construção do Reino.

Como o vírus é contraído?

É contraído através de nossas experiências pessoais e sociais que fazemos todos os dias, e de nossa abertura de coração à voz de Deus. Esse chamado pode vir por caminhos diversos: acontecimentos que marcaram nossa vida, apelos interiores através de uma voz que sussurra lá no fundo do nosso coração, pelo convite de outras pessoas, por uma leitura da palavra de Deus, pelo clamor do povo e outros mais. Pode ser contraído também pelo encantamento provocado pelo mistério trinitário: o esplendor do Pai, a missão do Filho e a força do Espírito Santo. Este vírus se instala em nosso organismo, ou mais especificamente, em nosso coração.

Quais os sintomas?

Os primeiros sintomas que indicam que contraímos o vírus da vocação são: dúvida, insegurança ou uma certa angústia. Queremos encontrar nosso caminho! Num segundo momento, estes sintomas, através da oração e da reflexão, vão se transformando em certeza, realização, convicção, satisfação ou uma sensação de felicidade. Sentiremos, então, uma vontade muito grande de vivenciar o amor cristão, que se transforma em ações vitais concretas em favor dos irmãos. Começamos a nos sensibilizar, a senti compaixão e indignação diante do sofrimento e da angústia de nossos irmãos marginalizados, injustiçados e excluídos da sociedade.

Qual é o tratamento?

O paciente deverá se tratar com muita reflexão e com altas doses de entusiasmo, alegria e muita oração, alem de uma busca incessante por sua realização existencial, tendo sempre Jesus como o grande médico. Mas não esqueça: em caso de sérias suspeitas de vocação sacerdotal, religiosa ou missionária, procure uma congregação que possa acompanhar e tratar seus sintomas.

Autor: Sedenir Fiore

 

 

 

 


 

 


© 2010 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode